Arquivo para fevereiro, 2009


Investimentos protegidos da inflação

Bruno Yoshimura, co-fundador do Kekanto.com
 » Siga-me no Twitter: @brunoyoshimura e no Linkedin
 » Leia sobre aluguel de ações: clique aqui

O investidor inteligente precisa garantir que seu dinheiro está protegido da mais silenciosa devoradora de patrimônio: a inflação. Quem deixou o dinheiro parado na conta bancária durante no ano passado, perdeu quase 6% em poder aquisitivo: R$ 100,00 depositados no começo do ano valiam apenas R$ 94,00 em dezembro.

Existem opções de investimentos com rentabilidade acima da inflação. Algumas delas são indexadas diretamente pelo indicador (os títulos públicos, por exemplo) e outras que garantem uma proteção indireta, causada pelo repasse de preços ao consumidor ou reajuste da receita pela inflação.
Continuar lendo »

Qual a diferença entre fundos DI e RF?

Essa é uma pergunda fácil de ser respondida mas que muitos investidores não sabem.

A diferença básica entre os dois tipos é que os fundos DI aplicam boa parte do patrimônio em títulos do governo com taxa pós-fixada (por exemplo, o títulos LFT) e os fundos de Renda Fixa investem em títulos públicos pré-fixados (por exemplo, LTN e NTN).

O que isso significa?

Os fundos DI são mais indicados em momentos de alta de juros (aumento da taxa SELIC), pois seu rendimento varia junto com o indicador. Por exemplo a taxa SELIC (que hoje está em 12,75%) subisse para 14,75%, a rentabilidade do fundo DI irá acompanhar esse movimento.

Os fundos RF são indicados para momentos de queda de juros uma vez que ele se baseia na compra de títulos de juros pré-fixados. A previsão do Banco Central para a taxa SELIC para o fim do ano é de 10,75%, portanto, em 2009 o investimendo em RF é mais indicado.

Continuar lendo »