Posts do autor


Oferta pública de Debêntures da BNDESPar – Uma alternativa interessante ao Tesouro Direto

bndes logo

Começou nessa última terça-feira (24/11/2009) o período de reservas da oferta pública de Debêntures da BNDESPar. Eu particularmente gosto desse tipo de investimento, por isso acredito que vale a pena explorar um pouco o assunto aqui no blog.

O que são e para que servem as Debêntures?

As Debêntures são uma forma das empresas captarem dinheiro. A grosso modo, é como se elas fizessem um empréstimo em que o credor é o investidor que opta por comprar as debêntures emitidas.

Essas Debêntures são títulos de dívida de médio e longo prazo que as companhias emitem e que confere ao investidor que comprou o título um direito de crédito sobre ela.

Continuar lendo »

Achando ações para investir: A fórmula mágica de Joel Greenblatt

Escolher uma ação - Joel Greenblatt Uma das maiores dificuldades que tenho na hora investir é achar ações de empresas boas com bons descontos nos preços. O economista Joel Greenblatt propôs em seu livro “Little Book” uma fórmula “mágica” e fácil para garimpar essas ações sub-precificadas.

A fórmula de Greenblatt tenta achar empresas saudáveis e lucrativas e que estejam sendo vendidas a um baixo valor. Para isso, ela relaciona dois indicadores fundamentalistas muito famosos, o P/L e o ROE.

O P/L é um indicador que relaciona o preço da ação com o lucro líquido por ação. Quanto menor, melhor. Ele nos dá uma idéia se o preço do papel está barato ou caro. Aqui no Investidor Jovem exploramos bastante esse indicador. Você pode entender um pouco mais sobre ele aqui e aqui.

O ROE (da sigla Return on Equity) é calculado a partir do lucro líquido da empresa e seu patrimônio liquido. Quanto maior, melhor. O indicador representa quanto uma empresa consegue gerar de lucro em relação ao capital investido pelo acionista. Ele nos dá uma idéia de como anda a saúde financeira da empresa.

A fórmula de Greenblatt é bem simples de ser calculada. São três passos básicos:

Continuar lendo »

4 indicadores para analisar antes de comprar uma ação

Indicadores Toda vez que alguém me pergunta se deve ou não comprar uma ação eu sempre acabo perguntando a mesma coisa: Você já deu uma olhada no P/L, no P/VP, no Divident Yield e na Liquidez Corrente?

Esses 4 indicadores não garantem uma certeza absoluta de sucesso, mas se um investidor que está começando agora, analisar pelo menos esses 4 números antes de comprar uma ação, a chance dele fazer besteira diminui, e muito.

Descobrir esses indicadores é bem fácil. Basta entrar no site Fundamentus e buscar pela ação desejada.

P/L menor ou igual a 8

Já expliquei mais detalhadamente o indicador nesse post. Resumidamente podemos entender esse indicador com uma simples analogia: Suponha que você tenha investido R$1.000,00 numa empresa cujo P/L é 8. Esse indicador diz que em 8 anos, você terá um lucro igual ao valor que investiu inicialmente, ou seja, um lucro de R$1.000,00.

Continuar lendo »

Preço médio, como se proteger ao comprar ações

Para comemorar o primeiro ano do blog Investidor Jovem, irei explicar uma técnica muito utilizada por investidores (assim como eu) de longo prazo. Trata-se do preço médio na compra de ações.

Um dos maiores erros cometidos por investidores iniciantes é tentar acertar o momento de compra de uma ação. Em épocas de incerteza como a que vivemos agora, em que é praticamente impossível saber se o mercado está se recuperando ou se é somente uma euforia momentânea, fazer compras buscando o preço médio acaba sendo a melhor maneira de um investidor se proteger.

O conceito é bem simples, ele se baseia em não comprar todas ações de uma única vez mas sim em dividir as compras em duas ou três ordens.

Continuar lendo »

Como diversificar ações por setores produtivos

Todos nós sabemos que diversificar uma carteira de ações é importante, porém nem todos sabem que é essencial ter uma estratégia sólida ao planejar essa diversificação. Nesse post quero focar num ponto que sei que muitos investidores não se preocupam: os setores que compõem sua carteira.

Na maioria dos Home Brokers do mercado, fica disponível para o investidor a lista de suas ações e a porcentagem de cada uma dela em sua carteira. Algo parecido com esse exemplo:
Composição de uma carteira

Papel Quantidade Valor Total %
PETR4 100 R$ 30,35 R$ 3.035,00 19%
VALE5 150 R$ 27,43 R$ 4.114,50 26%
GGBR4 200 R$ 12,14 R$ 2.428,00 16%
USIM5 100 R$ 27,00 R$ 2.700,00 17%
GETI4 50 R$ 17,80 R$ 890,00 6%
ITSA4 100 R$ 8,14 R$ 814,00 5%
BBAS3 100 R$ 15,98 R$ 1.598,00 10%

Porém é muito difícil saber se essa carteira é diversificada setorialmente, ou seja, será que eu não estou com muito dinheiro em mineração e pouco dinheiro em energia elétrica?

Continuar lendo »

Qual a diferença entre fundos DI e RF?

Essa é uma pergunda fácil de ser respondida mas que muitos investidores não sabem.

A diferença básica entre os dois tipos é que os fundos DI aplicam boa parte do patrimônio em títulos do governo com taxa pós-fixada (por exemplo, o títulos LFT) e os fundos de Renda Fixa investem em títulos públicos pré-fixados (por exemplo, LTN e NTN).

O que isso significa?

Os fundos DI são mais indicados em momentos de alta de juros (aumento da taxa SELIC), pois seu rendimento varia junto com o indicador. Por exemplo a taxa SELIC (que hoje está em 12,75%) subisse para 14,75%, a rentabilidade do fundo DI irá acompanhar esse movimento.

Os fundos RF são indicados para momentos de queda de juros uma vez que ele se baseia na compra de títulos de juros pré-fixados. A previsão do Banco Central para a taxa SELIC para o fim do ano é de 10,75%, portanto, em 2009 o investimendo em RF é mais indicado.

Continuar lendo »

Como comprar Tesouro Direto?

Seguindo a série sobre como investir no Tesouro Direto, explicarei nesse simples post tutorial como comprar títulos públicos, passo-a-passo.

São apenas 9 etapas para mostrar como é rápido e simples investir.

O único pré-requisito que uma pessoa precisa para investir em Títulos Públicos é uma conta em alguma corretora.

Passo 1:

Acesse o site do Tesouro Nacional e clique no banner “Invista já“.

Como comprar tesouro direto

Continuar lendo »

O que é Tesouro Direto?

tesouro nacional

Num momento de crise como esse muitos investidores buscam alternativas de investimento. Uma das que mais estão se destacando nesse momento é o Tesouro Direto.

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa de vendas de títulos públicos.

E o que são Títulos Públicos?

Títulos Públicos são ativos de renda fixa que possuem a finalidade de captar recursos para o financiamento da dívida pública e financiar atividades do Governo Federal, como educação, saúde e infra-estrutura.

Continuar lendo »

PIBB11 uma alternativa para diversificar

O PIBB11 é um fundo de investimentos com cara de ação. Ele pode ser comprado na BOVESPA através do seu Home Broker da mesma maneira que você compra uma ação normal.

Esse “papel’ é uma ótima alternativa de diversificação pois esse fundo é representado pelo IBrX-50, um indicador que simula uma carteira com 50 empresas altamente líquidas e ponderadas pelo seu valor de mercado.

Qual a vantagem do PIBB11 para um fundo de ações normal?

O PIBB11 tem uma taxa de administração super baixa, algo em torno de 0.059% do patrimônio ao ano. Já um fundo de ação em um banco normal tem, em média, 4% de taxa.

Continuar lendo »

Diversificar ou não diversificar, eis a questão

Diversifique!Um assunto que é muito discutido entre os investidores é a diversificação de sua carteira. Nesse post quero tratar especificamente da diversificação em ações.

Warren Buffet, o maior investidor do mundo, tem como uma de suas estratégias a não diversificação. Ele diz que você precisa conhecer a fundo as empresas que investe, e ao manter uma carteira com muitas empresas, você é incapaz de realmente acompanhá-las e seguir seus passos.

Continuar lendo »

Próxima Página »