Boa parte dos fundos de investimentos não divulga a composição de suas carteiras com a intenção de proteger sua estratégia do mercado ou até mesmo esconder operações arriscadas.  O investidor não deveria se contentar em saber apenas a rentabilidade passada, mas sim, como ela foi atingida.

O site da CVM mostra a composição da carteira de todos os fundos mês a mês, com três meses de atraso.  A carteira pode ser composta por ações (Ex: Petr4, Vale5), Opções, Caixa, CDBs, Títulos do Governo, Títulos privados, CDBs, operações no mercado futuro de dólar e juros, cotas em outros fundos, etc.

Descobrindo a composição do seu fundo

Abaixo mostraremos passo a passo como descobrir a composição de um fundo.

  1. Entre no site da CVM e vá na parte de Fundos de Investimento

    cvm01

  2. Busque o seu fundo por nome ou tipo de fundo.

    cvm01

  3. Clique em “Composição da carteira”.

    cvm01

  4. Selecione uma data anterior há três meses.

    cvm01

  5. Pronto, o site vai mostrar a composição da carteira.

Qual importância em saber a composição dos fundos?

Todo fundo de investimento possui um regulamento que determina a quantidade máxima e mínima investida em cada família de investimentos (ação, futuro, títulos, dólar, etc.), mas os valores costumam ser muito abrangentes.

Um fundo de renda fixa que cobra taxa de administração abusiva (4% ao ano) pode estar compensando essa taxa ampliando o risco e destinando parte dos investimentos para títulos privados de maior risco. Ou seja, o investidor empata a rentabilidade com outro fundo que investe apenas em títulos públicos (considerados “sem risco” ou risk-free), mas está sujeito a maior risco.

Alguns fundos multimercados conseguem superar a rentabilidade em fundos de renda fixa investindo boa parte do capital em títulos públicos, mas destinando uma pequena parcela em especulações alavancadas de mercado futuro de dólar ou juros.

Antes de investir em qualquer tipo de fundo, compare rapidamente o histórico de rentabilidade do fundo com a composição da carteira.