Jovem leitor, deveríamos comemorar este momento! Não existe melhor período para uma crise do que no começo de nossas vidas de investidor. Temos muito tempo para transformar esses prejuízos temporários em lucros enormes, ainda mais se soubermos aproveitar as promoções do mercado para comprar empresas subvalorizadas nos próximos meses.

Vejo pessoas contaminadas pelas notícias do mercado, perdendo o sono e ficando desesperadas. No fim, acabam esquecendo do óbvio: crises são as melhores oportunidades de compra.

Não sou o único a comemorar a crise, muitos investidores esperaram pacientemente por este momento. Aquele que não separou uma reserva para investir na crise, deve estar sofrendo. Pior é quem investiu dinheiro que vai precisar no curto prazo e terá que realizar esse enorme prejuízo.

Na lama estão os americanos….

Eles já perderam muito dinheiro com imóveis, ações e agora não adianta nem investir em renda fixa. Antes da crise os bonds americanos pagavam cerca de 5% ao ano. Com o corte dos juros para 1,5%, este investimento não servirá nem para proteger da inflação.

Note que existe uma grande diferença entre empresas americanas e brasileiras. Lá, a desvalorização das ações é menor, mas fundamentada. O preço das ações cai à medida que o valor das empresas degrada.

No Brasil as empresas continuam sólidas, apresentando resultados recordes e aumentando o seu valor. Em ambos os casos, os preços das ações desabaram. A diferença é que no Brasil o valor das empresas continua crescendo. Isso significa que hoje podemos comprar empresas que continuam com o mesmo valor (ou até maior), mas têm descontos de 50% no preço, as vezes até 85%.

Cenário positivo para investimentos em renda fixa

O cenário atual está excelente até para renda fixa! Talvez os próximos anos sejam os últimos nos quais teremos taxas tão atraentes para aplicar em títulos do governo, que estão pagando 15% no pré-fixado e 9% + IPCA na série NTN-B. Nenhum outro país paga essas taxas em um investimento considerado de “risco zero”.

As perspectivas para o médio prazo ainda são de elevação da taxa básica de juros e para longo prazo, a continuidade da redução. Caso essa expectativa do mercado seja verdadeira, os melhores investimentos para médio prazo seriam os títulos pós-fixados e o para longo prazo, os pré-fixados.

Mercado de ações em oferta

São tantas as oportunidades no mercado que fica até difícil escolher o que comprar nos próximos meses. De acordo com o Credit Suisse, a projeção do múltiplo P/L das empresas brasileiras deve ficar em 7,3x, o que é 34% abaixo da média histórica.

Caso esteja garimpando ações, vale a pena analisar as empresas que realizaram abertura de capital nos últimos anos, pois a maior parte dos acionistas eram estrangeiros que resgataram o dinheiro agora e derrubaram as cotações em mais de 65% (mas fique longe de construtoras e bancos pequenos).

Para o investidor inteligente, o que importa?

O tempo que a crise vai durar e o fundo do poço para Ibovespa são fatos irrelevante, pois ninguém consegue prever. Pagar 3x mais barato por uma empresa que continua com o mesmo valor, isso sim é importante! Como disse o jornalista Carlos Alberto Sardenberg: “toda crise é passageira”!

Mauro Halfeld falou hoje na CBN que a melhor estratégia é comprar ações lentamente, um pouco por semana, diversificando. “Para quem não tem pressa, comprar em conta gotas será um dos melhores negócios de nossas vidas“.

Agora chega de chorar pelas perdas! É hora de organizar sua estratégia de investimento para saber como aproveitar a crise. Ações e tesouro direto nunca estiveram tão atrativos desde que comecei a investir. Infelizmente não vivi as boas épocas em que a renda fixa pagava mais de 20% ao ano, mas estou feliz em aproveitar esta oportunidade!

“Toda crise é passageira” – Dow Jones de 1970-2008